Instalação elétrica: tudo que você precisa saber sobre disjuntores

Compartilhe com os amigos

Responsáveis pelo controle de correntes elétricas e sobrecargas que podem resultar em curtos-circuitos, os disjuntores são dispositivos fundamentais para garantir a segurança de uma instalação elétrica, seja ela residencial ou comercial.

Desse modo, elaboramos esse artigo abordando tudo o que você precisa saber sobre eles, afinal, quando falamos em eletricidade, é importante que não haja dúvidas.

Qual o momento certo para trocar os disjuntores?

Primeiramente, vale destacar que como medida preventiva, dar atenção a disjuntores antigos é primordial. Portanto, sempre que possível faça a troca e substitua-o por um mais novo.

Quando o disjuntor começar a desarmar com frequência, chegou a hora de troca-lo. Lembre-se que situações recorrentes como essa é um sinal de que há uma sobrecarga no circuito, curto-circuito ou falha no aterramento. Sendo assim, para proteger o circuito de superaquecimento, ele é desarmado, precavendo maiores prejuízos.

Principais tipos de Disjuntores

Disjuntores magnéticos

Embora o disjuntor magnético tenha um preço mais elevado, ele possui um efeito instantâneo e se caracteriza pela precisão e sua alta capacidade de proteção.

Disjuntores térmicos

Os disjuntores térmicos não possuem uma grande precisão de corrente de seccionamento como os magnéticos, porém, são ideais para evitar incêndios, pois assim que detectam uma alteração suspeita na temperatura, automaticamente interrompem o circuito. Além disso, diferente do primeiro, são vendidos a um preço menor.

Disjuntores termomagnéticos

Pela praticidade, é um disjuntor que tem sido muito utilizado atualmente. O termomagnético funciona por meio de um sensor de temperatura. Uma vez que seja identificado temperatura em excesso, o circuito é desligado. O componente também possui a vantagem de poder ser usado para manobras de ligar e desligar circuitos.

Disjuntores tabelados por tipo x por curva

Entre os tipos de disjuntores estão o unipolar, bipolar e tripolar. O unipolar é indicado para circuitos de uma fase, como tomadas e iluminações. O bipolar de duas fases, como chuveiros. E o tripolar para três, como motores, por exemplo.

Já as curvas, estão classificadas em B,C,D. A B é utilizada para proteger aparelhos como chuveiros, fornos elétricos e aquecedores. A C é indicada para lâmpadas fluorescentes, máquinas de lavar e outros motores elétricos. E a D para circuitos de altas cargas.

Qual a diferença entre disjuntores e fusíveis?

Tanto os disjuntores como os fusíveis possuem uma característica em comum: proteger o circuito elétrico. Contudo, os disjuntores têm longa durabilidade se comparado aos fusíveis. Quando desarmado, eles podem ser rearmados novamente sem danos, diferente dos fusíveis que queimam e devem ser trocados antes de ativar o sistema elétrico.

Contrate um eletricista

Para realizar a troca de disjuntores é essencial contratar uma empresa especialista no assunto. O conhecimento de um bom eletricista para auxiliar na escolha do tipo de disjuntor mais adequado para sua instalação fará toda diferença. Além do mais, você garante a segurança não só das pessoas, mas também de seu patrimônio.

E diga para nós, em que estado se encontra os disjuntores de sua residência/empresa?

Aproveite e leia também Projeto elétrico residencial: conheça a importância

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Compartilhe com os amigos

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *